segunda-feira, 23 de agosto de 2010

História da REFLEXOLOGIA ...

                                                            Nossa vida. Nossos Pés


 
AReflexologia pode ser definida como uma forma eficaz de ESTIMULAÇÃO terapêutica, através da aplicação de pressão específica em pontos reflexos nos pés.
É considerada como uma ciência porque se baseia em aspectos fisiológicos e neurológicos. Além disso, numerosos terapeutas, após anos de estudo e de prática, concluíram que a Reflexologia actua também nos níveis psicológico e espiritual, levando-se em conta que o “Macrossistema do ser humano é reconhecível em seus diversos microssistemas”.
A Reflexologia é também considerada uma arte porque depende bastante da habilidade do terapeuta em aplicar o seu conhecimento, que é percebido na interação com quem está recebendo.
 

 
Um pouco de História

 

a) Período Antigo – 2500 aC.

Não se pode atribuir a nenhuma cultura específica a “descoberta” da Reflexologia.
O que se sabe é que diversos povos da Antiguidade já manipulavam os pés e faziam a correlação com os órgãos.
  • A documentação mais antiga que se tem conhecimento está no Egito, registrada através de pinturas.
  • Os budistas, oriundos da Índia, levaram para a China este conhecimento.
  • Na Europa, no século XV já se trabalhava com “terapia de zonas”, como era chamada na época a Reflexologia.
  •  Fazia-se pressão em determinados pontos do pé, obtendo-se alívio da dor e do cansaço.

Tumba dos Médicos 2330 A.C.

 

b) Período Moderno – 1850 a 1962.

 

Na era Moderna, vários povos dedicaram-se ao estudo aprofundado da Reflexologia.
  • Os britânicos fizeram grandes descobertas sobre as áreas reflexas e a ação sobre elas;
  • Os alemães se especializaram nas técnicas conhecidas como “Massagem Reflexa”;
  • Os soviéticos enfocaram seus trabalhos no efeito reflexo psicológico;
  • Os índios americanos conheciam e usavam a massagem nos pés e sabiam de seu efeito reflexo, beneficiando quem a recebia.
  • Os Cherokees tinham a seguinte visão sobre os pés: “Seus pés caminham sobre a Terra e através deles o seu espírito se une ao Universo. Nossos pés são o nosso contato com a Terra e com as energias que fluem dela”.

 
O Dr. Willian Fitzgerald (médico otorrinolaringologista – 1872-1942) tinha conhecimento de que nas Américas do Norte e Central os habitantes primitivos eram tratados desde longo tempo nos pés.
Como ele observou, os fundamentos sobre os quais estavam trabalhando eram conservados de forma rudimentar e transmitidos através de representação e linguagem simples e gráfica, portanto um conhecimento milenar. Durante anos examinou e sistematizou os pontos tradicionais do pé, auxiliado por médicos e terapeutas interessados no assunto.
Em 1917 publicou seu livro Terapia de Zonas, no qual descreve suas experiências e apresenta, pela primeira vez, o esboço pintado à mão de uma divisão de 10 zonas verticais.
  • Ele é considerado o fundador da chamada “Terapia de Zonas” (em que o corpo pode ser dividido em linhas ou zonas longitudinais). Ele também ensinava essa técnica a clínicos gerais, dentistas, quiropráticos, ginecologistas e terapeutas em formação. Então, a partir deste conhecimento, o Dr. Joseph S. Riley desenvolveu diagramas detalhados sobre pontos reflexos localizados nos pés.

 
Em 1930 fisioterapeuta americana Eunice Inghan, que era assistente do Dr. Riley, separou todos os estudos sobre áreas reflexas nos pés e passou a orientar seus trabalhos terapêuticos de acordo com eles. No decorrer de vários anos, ela concentrou o conhecimento existente complementando-o com sua própria experiência prática nos pés. Assim, desenvolveu uma técnica especial de tratamento, denominada “Método Ingham de massagem de compressão”. Ela mapeou os pés em relação às zonas e seus efeitos sobre o restante da anatomia, até chegar a produzir nos próprios pés um “mapa” de todo o corpo. Por isso, Eunice Inghan tornou-se a “Mãe” da moderna Reflexologia. Em 1938 publicou seu primeiro resumo escrito “Histórias que os pés podem contar”, ao qual logo se seguiu o complemento “Histórias que os pés têm contado”. Ela faleceu em 1974, após 40 anos dedicados a esses estudos, tendo escrito apenas esses dois livros.


 
Nos pés encontramos áreas reflexas de todos os órgãos e glândulas do corpo que serão activadas e energizadas com  a estimulação!.

 
NOTA:
Gravidez (obs.: a dor provocada pela preensão terapêutica em uma zona sobrecarregada é uma característica nítida da Zona de reflexo nos pés; disso poderia formar-se a idéia de que o tratamento seria inadequado para lactentes e crianças pequenas. No entanto, a experiência tem comprovado o contrário. Além do mais, deve-se aplicar a ZRP em casos específicos para ajudar na melhoria do estado geral da gestante).

 


 
Métodos e Variações.

A forma tradicional da aplicação da Reflexologia é com as mãos. Mas, existem terapeutas que utilizam instrumentos como bolas de madeira e objetos pontiagudos para auxiliar na ativação dos pontos reflexos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Acerca de mim

A minha foto
Funchal, Madeira, Portugal
Licenciada em Enfermagem. Curso Reflexologia Podal, Curso Reflexologia Podal Infantil,método Angeles Hinojosa, Curso Reflexologia Gravidez e Parto,método Maurício Kruchik. Formação em: Chairmassage, Matrix Energetics, TLE(Técnica Libertação Emocional), Integração Subconsciente, Moxabustão, Aromaterapia, Argilaterapia, Velas Hopi, Análise Personalidade, através dos Pés!, Renascimento, Reiki I,II. Su-jok. ANALISE PERSONALIDADE, KARMAS Pela NUMEROLOGIA MARQUE SUA CONSULTA ATRAVÉS 968173442 ivethbarajas@gmail.com

TÉCNICA LIBERTAÇÃO EMOCIONAL TLE OU EFT

Renascimento ( Re-Birthing)

REFLEXOLOGIA NA GRAVIDEZ E PARTO - Mauricio Moshe

Auto - Reflexologia - Sistema Hormonal -

Reflexologia na Praça Alegria

continuação...

Reflexologia na Praça da Alegria RTP1

Reflexologia na Praça da Alegria RTP 1

1ª Sessão Reflexologia Infantil para Pais - Relaxamento

2ª Sessão Workshop Reflexologia Infantil para Pais Sistema Imunitário

Curso Reflex. Infantil para Pais ao Domicílio

O SILÊNCIO

O SILÊNCIO AJUDA SEMPRE:

QUANDO OUVIMOS PALAVRAS INFELIZES
QUANDO ALGUÉM ESTÁ IRRITADO
QUANDO A MALEDICÊNCIA NOS PROCURA
QUANDO A OFENSA NOS GOLPEIA
QUANDO ALGUÉM SE ENCOLERIZA
QUANDO A CRITICA NOS FERE
QUANDO ESCUTAMOS A CALUNIA
QUANDO A IGNORÂNCIA NOS ACUSA

QUANDO O ORGULHO NOS HUMILHA
QUANDO A VAIDADE NOS PROVOCA

O SILÊNCIO É A GENTILEZA DO PERDÃO
QUE SE CALA E ESPERA O TEMPO



MEMEI - Do livro "Pai Nosso", Psicografia do médium Francisco C. Xavier